Tráfico Transatlântico e Procedências Africanas no Maranhão Setecentista

+ mais detalhes
R$ 36,90 Disponível:

  Descrição do Produto

A escravidão negra é o pano de fundo deste estudo. A partir da implantação do empreendimento mercantil – Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão (1755) - que dispôs do monopólio do comércio regular de escravos africanos para o Grão-Pará e Maran hão e de navegação nas rotas que ligavam os portos de São Luís e de Belém aos principais embarcadouros de escravos, na África, aborda-se o comércio de escravizados negros no que diz respeito aos registros de viagens e ao desembarque de cativos no por to de São Luís, bem como o levantamento de viagens (nas rotas do comércio escravo) e as procedências desses escravizados, mapeadas a partir de fontes da burocracia administrativa (ofícios, mapas da escravatura, visitas da saúde) e fontes paroquiais (registros de casamentos). O cenário é o Maranhão Colonial, mais especificamente, a segunda metade do século XVIII, que vivenciou consideráveis transformações devido à transição da economia de subsistência para uma economia conectada às rotas das tr ocas internacionais e à conexão ao espaço atlântico nas interações humanas e materiais. Nessa dinâmica, a região se tornava cada vez mais dependente dos braços de homens e mulheres escravizados, de modo a atender os imperativos de produção e a pres ença africana se intensificava localmente.

  Atributos

num_paginas:
114
ano_edicao:
2021
num_edicao:
1
data_lancamento:
18/10/2021
isbn13:
9786558688976
ean:
9786558688976
autor:
MEIRELES, MARINELMA COSTA
editora:
EDITORA CRV
encadernacao:
BROCHURA
peso:
0.280
altura:
21.000
largura:
14.000
comprimento:
0.600